Mostra DOCSP

5, 6, 7 e 8 de novembro de 2018, na Unibes Cultural, exibições de filmes de documentário com um espaço de debate junto aos criadores.

Entrada gratuita

Nov

05

Elegia de um crime

19:30 HS / Teatro Unibes Cultural | R. Oscar Freire, 2500 - SP

Cristiano Burlan / Brasil / 2018 / 92min

Mais info

Ocultar info

Sinopse:

Uberlândia, Minas Gerais, 24 de fevereiro de 2011. Isabel Burlan da Silva, mãe do diretor, é assassinada pelo parceiro. “Elegia de um crime” encerra a “Trilogia do luto”, que aborda a trágica história da família. Diante da impunidade, o filme mergulha numa viagem vertiginosa para reconstruir a imagem e a vida de Isabel.

Diretor: Cristiano Burlan / Produtor: Cristiano Burlan e Henrique Zanoni / Empresa Produtora: Bela Filmes / Produção executiva: Priscila Portella / Fotografia:Renato Maia, Henrique Zanoni / Montagem: Renato Maia, Cristiano Burlan / Som: Emily Hozokawa / Música: Edson Secco

País: Brasil / Ano: 2018 / Duração: 92min / Formato: Digital

Prêmios e festivais:

Prêmio AND-SP – Melhor documentário / Prêmio EDT – Melhor edição. Festivais: É Tudo Verdade – Festival Internacional de Documentários. Projeto participante DOC LAB – DOCSP 2015.

Após o filme, diálogo aberto com:

Cristiano Burlan

Cristiano Burlan nasceu em Porto Alegre. É diretor de cinema e teatro. Sua filmografia contém mais de 20 filmes. Seu documentário Mataram meu irmão (2013) foi o vencedor do É Tudo Verdade 2013. Em 2018, estreou no Festival É Tudo Verdade, em competição, o documentário “Elegia de um crime” sobre o assassinato de sua mãe, o filme encerra a “Trilogia do Luto” composta também pelos filmes “Construção” e “Mataram meu irmão”.

Entrada gratuita

Nov

06

Auto de Resistência

19:30 HS / Teatro Unibes Cultural | R. Oscar Freire, 2500 - SP

Natasha Neri e Lula Carvalho / Brasil / 2018 / 104min

Mais info

Ocultar info

Sinopse:

AUTO DE RESISTÊNCIA é um documentário sobre homicídios praticados pela polícia contra civis, no Rio de Janeiro, em situações inicialmente classificadas como legítima defesa. O morto é acusado de ser traficante e ter trocado tiros com a polícia, mas a narrativa policial é posta em cheque pelo surgimento de vídeos e pela luta de mães que tentam provar a inocência de seus filhos. O filme retrata o embate de versões no julgamento de casos nas varas dos Tribunais do Júri, os bastidores das investigações policiais, e a Comissão Parlamentar de Inquérito estadual instaurada para apurar o alto índice de mortes decorrentes da ação da polícia.

Diretor: Natasha Neri e Lula Carvalho / Produtor: Lia Gandelman e Joana Nin / Empresa Produtora: Kinofilme Produções Artísticas

País: Brasil / Ano: 2018 / Duração: 104min / Formato: Digital

Prêmios e festivais:

Melhor longa-metragem do É Tudo Verdade 2018

Mostra FrontLight do IDFA 2018

Indicado para o Prêmio de Direitos Humanos de Amsterdam/ IDFA

Web: www.autoderesistencia.com.br

Após o filme, diálogo aberto com:

Natasha Neri

Natasha Neri é jornalista, Mestre em Antropologia, pesquisadora nas áreas de Justiça Criminal e Direitos Humanos. Se dedica ao estudo dos homicídios praticados pela polícia há 10 anos, sendo co-autora do livro “Quando a Polícia Mata: Homicídios por Autos de Resistência no Rio de Janeiro (2001-2011)”, Booklink, Rio de Janeiro.

Entrada gratuita

Nov

07

D.O.A - Lech Kowalski

19:30 HS / Teatro Unibes Cultural

Lech Kowalski / Estados Unidos / 1980 / 90MIN

Mais info

Ocultar info

Sinopse:

Diário da fatídica turnê nos EUA dos Sex Pistols em 1978, o auge e a queda do movimento punk, com uma rara entrevista de Sid Vicious e Nancy Spugen.

Diretor: Lech Kowalski

País: Estados Unidos / Ano: 1980 / Duração: 90MIN

Após o filme, diálogo aberto com:

Lech Kowalski

Lech Kowalski é diretor britânico e de origem polonesa. Começou a ser conhecido pelo documentário D.O.A.  “A Rite of Passage”, que é uma crônica do nascimento do movimento punk no Reino Unido, no final dos anos 70, e incluía também o percurso do Tour americano do Sex Pistols de 1978, que foi abortado. Ele também dirigiu Story of a Junkie; Born To Lose: The Last Rock and Roll Movie (sobre Johnny Thunders do New York Dolls e The Heartbreakers); e Hey! Is Dee Dee Home?, que teve um foco no baixista dos Ramones  Dee Dee Ramone e sua luta com o vício e heroína.

No território do ativismo cinematográfico e novas mídias, Lech desenvolveu o projeto Camerawar.tv. Na sua filmografia destacada estão os filmes On Hitler’s Highway (2002), East of Paradise (2005), Drill Baby Drill (2013), e seu último filme I pay for your story (2017).

Entrada gratuita

Nov

08

América Armada

19:30 HS / Teatro Unibes Cultural | R. Oscar Freire, 2500 - SP

Alice Lanari e Pedro Asbeg / Brasil / 2018 / 90min

Mais info

Ocultar info

Sinopse:

A violência afeta a vida de milhões de pessoas que lidam com isso diariamente  em toda a América Latina.

“América Armada ” é um documentário de longa-metragem que segue três pessoas no Brasil, Colômbia e México. Eles vivem ameaçadas de morte, mas decidiram resistir e lutar sem armas de fogo.

Diretor: Alice Lanari e Pedro Asbeg / Produtor: Carolina Dias - Tereza Alvarez / Empresa Produtora: Palmares Produções - Gaivota Studio

País: Brasil / Ano: 2018 / Duração: 90min / Formato: Digital

Prêmios e festivais:

Festival de Cinema de Brasília, hors concours – Brasil

DocsMX – México

Festival de Cinema de Havana – Cuba

Web: https://www.facebook.com/americaarmada/

Após o filme, diálogo aberto com:

Pedro Asbeg

Documentarista formado pela University of Westminster.
Entre seus trabalhos de edição estão os longas “Cidadão Boilesen”, “Vou rifar meu coração”, “Betinho”, “Clementina” e “Relatos do front”.
Em 2011, estreou como diretor de longas-metragens com “Mentiras Sinceras”. Em seguida, lançou “Democracia em Preto e Branco” e “Geraldinos”, exibidos em mais de 30 países.
“América Armada” é seu quarto longa-metragem como diretor.

Alice Lanari

Cineasta e produtora. Seu primeiro longa documentário, América Armada, codirigido com Pedro Asbeg, estreou em 2018 na sessão de encerramento hors concours do 51º Festival de Brasília e acaba de ser exibido no 13º DocsMX. Desde 2013 é sócia da produtora Gaivota Studio onde desenvolve a série Mo.Ch.I.L.A e o longa Termodielétrico. Vive em Brasília onde acaba de montar a Tantas Produções.