Palestrantes e tutores

ALICE RIFF

Alice Riff é realizadora audiovisual. Dirigiu Eleições (2018, 100′), Meu Corpo É Político (2017, 70′) e Platamama (2018, 82′) e é coprodutora de Histórias Que Nosso Cinema (Não) Contava (Fernanda Pessoa, 2018, 82′).

Beadie Finzi

Beadie Finzi (UK) é diretora-fundadora da Doc Society, uma fundação de cinema sem fins lucrativos para apoiar cineastas do mundo. Trabalhou com documentários nos últimos 20 anos. A frente da Doc Society ela é responsável por ajudar realizadores independentes, financiar grandes filmes, intermediar novas parcerias, criar novos modelos de negócios, compartilhar conhecimento e desenvolver novas audiências a nível global. Além de ter sido a produtora executiva de vários filmes na fundação, Beadie também é responsável por programas globais incluindo Good Pitch, The Impact Field Guide, e The Doc Impact Award.  Como parte do time de mentorias do Good Pitch, Beadie tem ajudado no brainstorm de estratégias de impacto e potenciais parcerias com mais dos 200 times de filmes que participam do programa global. www.goodpitch.org | Atividades: Seminários, Lab de Impacto.

BRUNNA LABOISSIÈRE

Brunna Laboissière finalizou, em 2018, seu primeiro filme “Fabiana”, selecionado para o International Film Festival Rotterdam 2019 (Bright Future Competition), Olhar de Cinema 2018, entre outros. Atualmente, codirige o curta “Harak” com Bruna Carvalho Almeida e está desenvolvendo o longa “Pedreiras” (Prêmio MiradasDoc no DocMontevideo 2019), com o qual foi selecionada para uma residência artística em 2020 na Cité Internationale des Arts, França.

Cléber Eduardo

É mestre em Cinema pela ECA-USP com pesquisa sobre o documentário brasileiro contemporâneo. Curador da Mostra de Cinema de Tiradentes desde 2007, é professor e pesquisador no Centro Universitário Senac, onde ministra disciplinas sobre história do documentário, realização de documentário e cinema brasileiro contemporâneo. Na mesma instituição, desenvolve pesquisa sobre DRAMATURGIA DOS ESPAÇOS. Foi crítico das revistas Contracampo e Cinética.

Cristina Amaral

Cristina Amaral tem mais de 60 filmes como montadora, formada em cinema pela ECA-USP trabalhou com cineastas como Denoy de Oliveira, Andrea Tonacci, Umberto Martins, Raquel Gerber, Gal Pereira, Toni Venturi, João Batista de Andrade, Guilherme de Almeida Prado e outros. A parceria com Carlos Reichenbach foi iniciada com “Alma Corsária” e rendeu filmes como “Dois Córregos”, “Garotas do ABC”, “Bens Confiscados”… Com Andrea Tonacci, assinou a montagem de “Paixões”, “Serras da Desordem”, entre outros filmes. | Atividades: Seminários, Rough Cut Lab.

DALILA CAMARGO MARTINS

Dalila Martins é pesquisadora e crítica de cinema e artes visuais. Bacharel em Audiovisual e Mestre em Meios e Processos Audiovisuais pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, onde atualmente desenvolve tese de doutorado sobre o realismo negativo no cinema de Danièle Huillet e Jean-Marie Straub. Participa do grupo de pesquisa História da Experimentação no Cinema e na Crítica. Foi redatora da Revista Cinética e colaboradora do periódico La Furia Umana, tendo publicado também em diversos catálogos. Programou as mostras Breve Historia de la Experimentación Audiovisual Brasileña, Western: Diálogo com os Mortos, 15ª Mostra ABD Cine Goiás e integrou a equipe curatorial do IV Fronteira Festival Internacional do Filme Documentário e Experimental. Já ministrou cursos e palestras em lugares como IBRACO, Biblioteca Roberto Santos, Escola da Cidade, MAM-SP, Instituto Tomie Ohtake, Companhia Kiwi de Teatro e Centro de Pesquisa e Formação do SESC. Expôs também alguns trabalhos em vídeo, dentre eles NU (2011), em coautoria com Carlos Fajardo.

DENIS R. BURGIERMAN

Denis Russo Burgierman é jornalista, colunista da Época e autor de livros como “O Fim da Guerra”, sobre políticas de drogas. Foi diretor de redação de publicações como Superinteressante e Vida Simples e fez parte do time que criou o Greg News, da HBO. 

Fernando Dias

Jornalista de formação e sócio-fundador da GRIFA FILMES,  é um dos maiores especialistas em mercado internacional e leis de incentivo para o audiovisual do Brasil. Com vários prêmios internacionais, já teve duas de suas séries indicadas ao Emmy Internacional. Ex-presidente e atual conselheiro da BRAVI, Fernando participa ativamente dos maiores mercados e encontros internacionais de documentários desde 1997. | Atividades: Encontro de coprodução.

GEORGETTE FADEL

Georgette Fadel é atriz formada pela Escola de Arte Dramática da USP e diretora formada pelo Departamento de Artes Cênicas da ECA, USP. Professora de interpretação na Escola Livre de Teatro de Santo André e no Estúdio Nova Dança, São Paulo. Recebeu o Prêmio Shell 2007 de Melhor Atriz por Gota d’água, um breviário.

HELOISA PASSOS

Heloisa Passos, ABC (Brasil), é diretora de fotografia, produtora e realizadora. Como diretora de fotografia, realizou vários longas-metragens, “Deslembro” de Flávia Castro, “Mulher do Pai” de Cristiane Oliveira, “Viajo porque preciso, volto porque te amo” de Marcelo Gomes e Karim Aïnouz, “Manda Bala” de Jason Kohn, entre outros. Recebeu diversos prêmios de fotografia, tais como: Festival do Rio (2009 e 2016), Gramado (2002 e 2008), Sundance (2007), Cinema Eye Honor (2008). “Construindo Pontes”, seu primeiro longa-metragem como diretora teve sua estreia internacional no IDFA/2017, Grande Prêmio Cora Coralina, XX FICA, Prêmio Marco Antônio, 50˚ Festival de Cinema Brasileiro de Brasília, Prêmio ABC de direção de Fotografia 2019, entre outros. É membro da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas nos Estados Unidos, da Associação Brasileira de Cinematografia e do DAFB. É residente da Field of Vision Fellowship Program, 2019. | Atividades: Seminários, Lab de Fotografía.

INÁCIO ARAÚJO

Inácio Araújo é crítico de cinema do jornal Folha de S.Paulo, autor de dois livros sobre o assunto: “Hitchcock, o Mestre do Medo” e “Cinema, o Mundo em Movimento”. É escritor, autor do romance “Casa de Meninas” (prêmio APCA de autor revelação, 1987, em 2a. ed. pela Imprensa Oficial do Estado/SP), do romance juvenil “Uma Chance na Vida”. Entre os anos 1970 e 1980, foi montador, roteirista e assistente de direção e montagem em diversas produções. Escreveu, montou e dirigiu “Aula de Sanfona”, episódio do filme “As Safadas” (1982). Há 15 anos ministra o curso “Cinema – História e Linguagem”.

JÉSSICA QUEIROZ

Formada em técnico em edição audiovisual pelo Instituto Criar, e direção cinematográfica na Academia Internacional de Cinema, trabalha a 5 anos com edição de publicidade. Nascida e crescida em Ermelino Matarazzo, Jéssica acredita que o cinema é uma ferramenta de transformação social, fazendo seus filmes uma representação da visão de dentro da periferia, dirigiu o documentário “Vidas de Carolina” (2014) historia de Carolina Maria de Jesus, escritora negra, favelada, dos anos 50, a ficção “Número e Série” (2015) e Peripatético (2017) que levou prêmio de melhor roteiro e prêmio especial do júri no Festival de Brasília.

JÔ SERFATY

Jo Serfaty é diretora, roteirista e mestre em cinema pela UFF. Dirigiu “Confetti” com Mariana Kaufman exibido em trinta festivais. Também realizou o curta de ficção “Sobre a Mesa” (2012), “Peixe” (2013) com Diogo Oliveira, “Ilha do Farol” (2016) com Mariana Kaufman. Foi contemplada no Rumos Itaú Cultural para realizar o projeto “Diário de Férias” que se desdobrou em seu primeiro longa “Um Filme de Verão”.

JUAN CARLOS RULFO

Juan Carlos Rulfo (México). Licenciado em Ciências da Comunicação e direção cinematográfica. Nomeado ao Student Academy Award. Prêmios ao melhor documentário em Sundance, Bafici, Biarritz, Miami, Havana e Karlovi Vary. Bolsista Guggenheim, Rockefeller, é membro ativo da Academia de Hollywood. | Atividades: DocLab, Seminários.

JULIA KATHARINE

Julia Katharine é cineasta, roteirista e atriz conhecida por “Tea for Two”, “Lembro Mais dos Corvos”, “Filme-Catástrofe” e “Os Cuidados que se tem com o Cuidado que os Outros Devem ter Consigo Mesmos”.

Julio Brandão

Diretor de marketing, comunicação e novos negócios na agência internacional de notícias France-Presse no Brasil. Responsável pelo licenciamento de vídeos e fotos do acervo da agência para produções audiovisuais. | Atividades: Workshop Arquivos AFP.

Khushboo Ranka

Khushboo Ranka (India),  é a diretora e produtora do thriller político de não ficção aclamado internacionalmente, “Um homem insignificante”. Ela também é co-fundadora e diretora criativa do Memesys Culture Lab e editora-chefe da ElseVR. Atualmente, ela está trabalhando em seu segundo longa-metragem, “Nothing but Us”, um filme de ficção científica que explora temas de meio ambiente, gênero e fascismo. | Atividades: Seminários, Lab de Impacto.

LAERTE

Laerte é uma cartunista e chargista brasileira, considerada uma das artistas mais importantes da área no país.

MAÍRA BÜHLER

Maíra Bühler é diretora, roteirista e antropóloga, responsável pelo departamento de desenvolvimento de projetos da Klaxon e é sócia da empresa desde 2017. Formou-se em Ciências Sociais na USP (São Paulo, 2000) e tem Mestrado em Antropologia Visual pela USP (São Paulo, 2004). Começou sua carreira no cinema como pesquisadora de filmes como “Xingu” (Cao Hamburguer) e “Que Horas Ela Volta?” (Anna Muylaert). Co-dirigiu os documentários de longa-metragem “Elevado 3.5” (2006), ganhador do prêmio de melhor filme no festival É Tudo Verdade, 2007; “Ela Sonhou Que Eu Morri”(2011), melhor direção no festival de Paulínia (2011) e Viña Del Mar (2012) e “A Vida Privada dos Hipopótamos” (2014), estreado no FiD Marseille em 2014 e ganhador dos prêmios da crítica (CineCeará, 2014), melhor filme (Juri de Cineclubes no festival português de Santa Maria da Feira) e melhor montagem (Festival do Rio, 2014). Na televisão, criou e dirigiu a série “Conversa de Salão” (GNT, 2011), co-dirigiu o telefilme “Fios de Ovos” (TV Cultura, 2011) entre outras realizações como diretora e roteirista. Atualmente Maíra finaliza seu quarto longa, ”Um Leão Por Dia”, prepara mais um documentário ”Balé Cego”, sua primeira ficção, ”R de Rita” e uma nova série “Pop Latino”.

MARCOS KURTINAITIS

Marcos Kurtinaitis é mestre pelo programa de Pós-graduação em Meios e Processos Audiovisuais da ECA-USP, bacharel em Direito e em Audiovisual pela USP. Foi coordenador de audiovisual do Museu da Imagem e do Som de São Paulo, programador da Cinemateca Brasileira e coordenador de programação e publicações do CINUSP Paulo Emílio. Atualmente, é coordenador de produção do Departamento de Cinema, Rádio e Televisão da ECA-USP. Além de artigos sobre artes e cinema em periódicos especializados, publicou a coletânea de contos O Manicômio e, como organizador, Viagens – Projeto Jovens Escritores e Mondo Tarantino.

María Augusta Ramos

Maria Ramos estudou documentário em Amsterdam e tem sido convidada e premiada em diversos festivais desde o início de sua carreira. Em 2013 recebeu o Prêmio Marek Nowicki de Direitos Humanos pelo conjunto de sua obra. | Atividades: Seminários, Doc Lab.

Mike Lerner

Mike Lerner (UK) faz filmes desde 1988 para BBC, Channel 4, BFI, HBO, PBS, Discovery Channel. Sua filmografia inclui: The Great Hack, The Kleptocrats, The Russian Woodpecker, Pussy Riot, The Square. Ele ganhou vários prêmios da indústria incluindo, 2 nomeações de Melhor Documentário de Longa-metragem no Oscar, 6 prêmios no Sundance Awards (Grande júri, Especial do Júri, Melhor Diretor, Audiência, Diretor de Fotografia), EMMY Award de Melhor Documentário, 2 Grierson Awards de Melhor Documentário. | Atividades: Seminários, Lab Produção Executiva.

RICARDO CALIL

“Uma noite em 67”, o primeiro documentário dirigido por Ricardo Calil, foi selecionado pelo IDFA (International Documentary Film Festival Amsterdã) para a seção Cinema do Brasil, como um dos mais relevantes documentários brasileiros produzidos neste século. O filme ganhou o prêmio de melhor documentário concedido pela Associação Brasileira de Imprensa Estrangeira, além de prêmios em festivais em Jerusalém (Israel) e João Pessoa (Brasil). Além de êxitos em festivais, o filme alcançou expressiva bilheteria nos cinemas. “Sou Carlos Imperial”, seu segundo documentário, estreou no É Tudo Verdade, o mais importante festival de documentários do Brasil, e ganhou menção honrosa no In-Edit festival Brazil. “Cine Marrocos” é seu terceiro documentário e rendeu ao diretor premiação na categoria Next Masters Competition do festival DOK Leipzig, além de ter sido premiado no Festival Internacional de Cinema de Guadalajara e eleito melhor documentário no Festival É Tudo Verdade. Calil também trabalha como roteirista de “Conversa com Bial”, o principal programa de entrevistas da TV Globo, e escreve resenhas de filmes para diferentes publicações no Brasil.

VANESSA CUERVO

Vanessa Cuervo (Colômbia) é gestora cultural, produtora, dançarina e estrategista de impacto trabalhando na interseção de arte, ativismo e justiça social. Vanessa conecta o mundo dos defensores dos direitos humanos às esferas da arte e do cinema para promover mudanças sociais. Depois de trabalhar com a DocSociety no GoodPitch New York e Miami, em 2018, liderou o primeiro GoodPitch Colômbia. Ela também apóia o trabalho da Comissão da Verdade da Colômbia, contribuindo para a narrativa histórica do país. | Atividades: Seminários, Lab de Impacto.